quarta-feira, 10 de junho de 2009

Faz 1 Ano....

Faz hoje 1 ano que cheguei a Angola...
Durante 1 ano vivi...morri...voltei a nascer e cá me encontro novamente!
Resumindo...posso dizer que...

Sou Emigrante...
Bebi umas Cucas...
Dancei Kizombas...
Fiz todo-o-terreno...
Vi animais selvagens...
Ganhei uns trocos...
Fiquei com a face paralisada...
Chorei...
Estive em praias maravilhosas....
Muito trabalho...
O estado de saúde do meu pai...
Muito trabalho...
Sorri...
Muito trabalho...
Apanhei paludismo...
Fui roubado...
Conheci uma realidade diferente...
Novos desafios....
Novos projectos...

Ou seja...muita coisa para um ano só!
O Futuro....

Muito trabalho...
Muito trabalho...
Muito trabalho...
Atingir objectivos...

"Para a maioria de nós, o passado é um lamento, o futuro uma experiência."
(Mark Twain)

segunda-feira, 25 de maio de 2009

ALAMBAMENTO - O "Pedido..."

Em Angola eisxte um acontecimento muito mais importante do que o casamento civil ou religioso, chama-se o "pedido" ou "Alambamento".
O pedido consiste em pedir a mão da namorada à família, mais propriamente ao tio, que tem um papel fundamental para que o casamento de concretize.
Quando o jovem casal de namorados decide casar, é necessário ter o aval da família da noiva e isso só é possível se, durante o pedido, toda a gente estiver de acordo em que o casamento se concretize.
O jovem casal marca o dia do pedido...esse dia é marcado pelos tios da noiva...pois é necessário reunir toda a família e é entregue uma lista contendo o que o noivo tem de conseguir reunir até ao dia do pedido.
O dia do pedido está marcado e o noivo parte em busca de todo o material para que no dia...não falte nada...e o que é que está nessa lista?...Primeiro é um envelope com dinheiro...300, 400, 500 USD, depende de que o tio estipular, a altura da noiva em grades de cerveja, a altura da noiva em paletes de sumo ou coca-colas, 1 cabrito, um fio de ouro, um fato para o tio e uns sapatos para a mãe.
Quando chega o dia, a família do noivo (Pai, Mãe, Tio, Tia, Irmãos...)vai a casa da noiva e o tio da mesma, como se de um juiz se tratasse, apresenta toda a gente e informa de que e vai dar inicio ao pedido de casamento. Os pais da noiva, convidam os pais do noivo a entrar e o tio dá inicio à leitura do pedido apresentado pelo noivo, se o pai da noiva concordar com o pedido, o noivo terá de ir buscar o alambamento, ou seja, aquela lista de coisas que juntou....o alambamento é apresentado e se tudo for cumprido...é feita uma reunião para acertar a data do casamento e outros detalhes de natureza logística. Posto isto tudo....canta-se e dança-se....(Não é por acaso que aparecem as grades de cerveja e de coca-colas na lista). A partir deste dia, se tudo correr bem, o casal de namorados passam a marido e mulher.
O alambamento não é mais do que o pagamento da mão da noiva...o papel dos tios é tanto ou mais importante do que o dos pais...pois os tios são também responsáveis pela criação da noiva.
Actualmente...esta tradição está em declínio, mas as famílias mais conservadoras, acreditem no que vos digo! Não cedem a mão da filha sem que seja tudo cumprido à risca.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

25 de Maio

25 de Maio é feriado!

Segunda-feira será feriado em Angola, é o dia de África! Para mim deveria de ser sempre feriado, não por ser dia de África, mas por ser o aniversário da casa que me viu crescer e me fez homem.
Sempre acompanhei as festividades deste grande dia, na 2ªfeira...por estar em Angola, acompanharei as festividades ao longe...ao mesmo tempo temos a grandiosa feira de Maio da Azambuja que grandes recordações me trazem, ou seja, tudo motivos para festa! Por isso e muito mais... está marcada uma grandiosa festa em S.Paulo. Estão todos de parabéns...uns por umas coisas, outros por outras...mas acima de tudo...é sempre motivo para festejar.

DIVIRTAM-SE...

terça-feira, 5 de maio de 2009

Parar para pensar!

Ao longo desta minha caminhada...chegou a altura de parar um pouco para descansar, olhar para trás e refletir. Chegou a altura de pensar no que é que andei a fazer...há quem diga de que não devemos olhar para trás, mas sim, olhar sempre em frente, mas eu tenho a necessidade de o fazer!
Fazendo uma sintese de experiências vividas fico espantado! sendo eu tão novinho...:) (Isto não foi dito por mim, mas sim por uma amiga...) já passei por coisas que não lembra o Diabo! Alegrias daquelas que até dão vontade de chorar...felicidades em que ficamos sem respirar...tristezas que fazem com que vejamos o fundo do poço... amarguras...sei lá! Tanta coisa. Quando me dizem..."Nem sabes o que me aconteceu? estava eu muito bem......" e aí eu respondo: "Pois a mim tambem já me aconteceu!", começo a reparar que estou constatemente a acumular lições de vida e cada vez são menos...daí eu pergunto! Isto não deveria acontecer quando fosse mais velho? Ou será que já sou velho? Desde que vim para Angola...começou a notar-se menos, pois todos os dias era surpreendido com coisas novas, sentimentos nunca dantes sentidos, situações nunca dantes enfrentadas.
Daqui consigo concluir uma coisa... Se a vida é um acumular de sentimentos e situações, para viver...apenas temos de ir ao encontro delas! logo...Estou mais vivo do que nunca!

quinta-feira, 26 de março de 2009

Sua Santidade em Angola

Para mais tarde recordar...

























Palavras para quê?



video




video




video




video
Não existem palavras para exprimir aquilo que se viveu naquele dia...

sábado, 14 de março de 2009

Alguem é servido?

Muitas vezes uma imagem vale mais que mil palavras...e é bem verdade! Ora aqui vai um relato fotográfico daquilo que foi uma boa e grande Jantarada!

O que é que vai ser o jantar?....

Está na hora de o preparar...

Estás a olhar para mim?
A confecção...



Já estão prontas...





Bela mesa...AO ATAQUE!





Boa noite e deliciem-se!



Só foi pena o Benfica ter perdido...

quinta-feira, 12 de março de 2009

Outro ponto de vista

A visita de sua Exª. o Sr. Presidente da Republica de Angola, José Eduardo dos Santos, a Portugal, foi acompanhada com grande entusiasmo por toda a comunidade portuguesa instalada em Angola. Para mim sempre foi banal um chefe de estado visitar o nosso país, mas agora foi muito diferente, encontro-me numa outra perspectiva, senti algo muito diferente...Primeiro foi o facto da visita ter sido protagonizada pelo Presidente onde me encontro e por outro foi sentir que apesar de ele visitar o meu País, eu não me encontrava lá, estranho não é? Foi bastante importante para todos nós esta visita...era fundamental que corresse da melhor maneira. Mas não havia motivos para preocupações, sempre soubemos acolher da melhor maneira os nossos convidados e ainda por cima um convidado de um país que tem andado de braços dados com Portugal desde a sua existência.

Segundo consta...correu tudo do melhor, pelo menos foi o sentimento que chegou a esta enorme Angola vindo do nosso Portugal pequenino.

Sentiu-se alguma saudade...


"Fogo pá! Ele está lá e nós aqui!"


Sentiu-se pena...


"Fogo pá! Ele está lá e nós aqui!"


Sentiu-se raiva...


"Fogo pá! Ele está lá e nós aqui!"


Não sei se viram a capa da revista visão julgo desta quinta-feira, dêem uma vista de olhos...
A todos aqueles que têm dúvidas...nem pensem duas vezes, venham! A todos aqueles que não querem...venham! A todos aqueles que julgam que Angola não presta... Venham! A todos aqueles que têm ou tiveram oportunidade de vir e não quiseram... apenas digo uma coisa, tudo aquilo que conhecemos e sabemos de Portugal foi feito sempre fora de portas...nunca em casa, D. Afonso Henriques foi o que foi porque saiu para conquistar... Os descobrimentos foram o que foram porque partiram... Todas as nossas conquistas...o que é isto tudo hoje em dia? É o nosso Portugal... É a nossa história é a história da nossa vida.




domingo, 22 de fevereiro de 2009

Naquele dia...

E assim, depois de muito esperar,
Num dia como outro qualquer,
Decidi triunfar,
Decidi não esperar as oportunidades
E sim, eu mesmo ir buscá-las.
Decidi ver cada problema, como a oportunidade de encontrar uma solução.
Decidi ver cada deserto
Como uma possibilidade de encontrar um oásis.
Decidi ver cada noite como um mistério a resolver.
Decidi ver cada dia
Como uma nova oportunidade de ser feliz.
Naquele dia, descobri que o meu único rival
Não eram mais do que as minhas próprias limitações
E que enfrentá-las era a melhor e única forma de as superar
Naquele dia,
Descobri que não era o melhor e que talvez não tivesse sido,
Deixei de me importar com quem ganha ou perde
Agora importo-me simplesmente,
Saber melhor o que fazer,
Aprendi que o difícil não é chegar lá acima,
E, sim, deixar de subir
Aprendi que o melhor triunfo e poder chamar alguém de amigo,
Descobri que o amor é mais do que um simples estado emocional
O amor é uma filosofia de vida,
Naquele dia, deixei de ser um reflexo dos meus escassos triunfos passados
E passei a ser uma ténue luz no presente,
Aprendi de nada serve ser luz,
Se não iluminar o caminho dos demais,
Naquele dia, decidi trocar tantas coisas...
Naquele dia, aprendi que os sonhos existem para tornar-se realidade,
E desde aquele dia,
Já não durmo para descansar
Simplesmente, durmo para sonhar...

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Recordações que esta terra alimenta...

O objectivo deste blog foi para partilhar com todos vocês experiências únicas...sentimentos únicos... vividos e sentidos durante a minha estadia em Angola. Todas as crónicas revelam um estado de espírito quando as escrevo... Neste momento, o meu estado de espírito leva-me a escrever unicamente o que vai dentro mim, as palavras vão saindo sem voltar atrás e reparar se ficou bem...
Angola, trouxe-me muitas experiências novas, novos sentimentos e novas maneiras de ver a vida, maneiras como só o belo povo africano sabe ver. Trouxe também muitos confrontos a nível pessoal e muitas questões interiores.
Após um sucessivo acumular de situações, gera-se um grande conflito comigo mesmo, em que fiquei sem aquela auto-estrada de vida e apanhei um caminho que me leva a um beco sem saída. Tudo aquilo que ambicionava, tudo aquilo em que acreditava, desapareceu...sinto-me só e perdido.
Neste momento, tenho a plena consciência de que odeio tudo e todos....tudo o que faço é mal todas as decisões que tome estarão erradas....Porquê?
Porque estou baralhado....Não sei o que quero e não sei para onde vou, tenho um conflito de sentimentos que despoletaram todos ao mesmo tempo, saudade, pena, tristeza, amor, fúria, raiva e alegria. Será que somos capazes de enfrentar tudo ao mesmo tempo ou temos de separar as coisas e tratar delas uma a uma.
Só me apetece desaparecer...fugir...estar sozinho...sem ninguém... "Tenho de arrumar a minha secretária".
Estou sem rumo...desorientado...
Muitas vezes ponho-me a pensar...numa analogia para isto tudo, uma questão prática...Será qualquer coisa do tipo como: Imaginem os nossos navegadores quinhentistas que quando regressavam de mais uma grande viagem, aquilo que lhes dava mais esperança era saber que tinham um porto de abrigo para poderem regressar para os braços da sua família. Agora imaginem que depois de estarem muito tempo afastados, em que tudo o que mais ambicionavam era regressar, o porto de abrigo tinha desaparecido, como se sentem esses navegadores...ao saberem que nunca mais vão poder ir a terra... e que tudo aquilo porque lutaram, simplesmente...desapareceu! Eu sei o que lhes passa pela cabeça... É uma lista de questões, porque é que desapareceu?.... O que é que fizemos para ele desaparecer?... Será que vai voltar? ... Vamos esperar e corremos o risco de morrer à fome?.... procuramos outro, demoramos muito tempo e acabamos por morrer na mesma? É isto que lhes passa na cabeça....
Nunca mais será a mesma coisa.... Mas era um alegria imensa se o porto regressasse e se os navegadores nunca mais partissem.
Peço desculpa a todos aqueles que abandonei.... Até sempre!

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Quando chove... Chove mesmo!




Depois de algum tempo ausente, devido a vários motivos, retomo novamente à publicação das minhas jornadas por terras de Africanas.



Durante os dois meses em que estive ausente, muita coisa mudou... menos lixo, mais civismo, coisas novas, mais lojas, enfim... muita coisa, tanta coisa que até o tempo mudou. Quando cheguei a Luanda até estava uma temperatura agradável, 22º - 23º, que com o cair da noite foi piorando, piorando, é de realçar que: tempo a piorar em Angola significa temperatura e humidade a aumentar, que começa a cair uma pinga aqui....uma pinga ali....e de repente....montes e montes de água acompanhada com o cantar e efeitos de luzes dos relâmpagos e trovões. Isto sim é chover....todo o aparato deste momento encosta a nossa baixa de corroios a um canto, em que basta cair umas pinguinhas para instalar o caos na margem sul. Todos nós já ouvimos falar das estradas Angolanas, boas não é?...Agora imaginem conduzir nessas mesmas estradas completamente cheias de água. Cada saída parece uma aventura, é necessário conhecer bem as estradas para que quando estão cobertas de água não termos o azar de cair dentro de um enorme buraco... mas ás vezes acontece! Pois com a força do caudal de água formado surgem sempre novos buracos, atrevo-me a dizer que é possível existir um buraco dentro de outro buraco ou até mesmo que existe diferença entre um buraco e meio buraco. Isto funciona tipo um jogo:


- Ora então vamos lá! Vamos por aqui, agora por aqui...


- Cuidado! Desvia-te mais para a esquerda.


- Não! À esquerda está lá um. (buraco)


- Olha que não sei....Ainda ontem estavam dois candongueiros só com a cauda de fora, no lado esquerdo.


- Ó pá...isso não aqui foi ali na rua de baixo.


- Tens a certeza?


- Claro...Queres ver.


- (SILÊNCIO)


- (MAIS SILÊNCIO)


- (TRAVESSIA COM MUITA CAUTELA)


- "Pum!"


- (GARGALHADA)


- Eu não disse que era aqui o buraco....


- Pronto ganhaste!